Com um investimento global de 288 mil euros, a intervenção irá garantir os requisitos para a atribuição do número de controlo veterinário, através da instalação de uma nova infraestrutura sobre a atual implantação. 

A lota requalificada será revestida com ripado a madeira de pinho nacional, seguindo as linhas de identidade das construções mais tradicionais implementadas nas redondezas e irá contemplar uma fábrica de gelo, câmara frigorifica, sanitário, balneário e vestiário para os funcionários e sanitário público.

Haverá circuitos independentes para a circulação do pescado, compradores e um sistema de controlo de lamas e resíduos no transporte do pescado.

O projeto de execução foi adjudicado ao atelier Pedro Novo, Arquitetos, tendo sido concluído no início do passado mês de julho. Ainda no dia 9 deste mês, procedeu-se ao lançamento de um concurso público para a contratação da respetiva empreitada, cancelado pela ausência de propostas.

A 31 de agosto, decorreu o segundo concurso público que resultou na exclusão de todos os concorrentes por irregularidades nas propostas face ao que estava disposto no Código dos Contratos Públicos.

O terceiro procedimento a concurso resultou na adjudicação da empreitada a 15 de outubro, à entidade Carlos Maia Ferreira, Engenharia e Educação, Lda, com um prazo de execução de 4 meses.