Esta decisão é justificada pela pandemia Covid-19, que colocou o concelho de Sines com risco muito elevado de transmissão da doença provocada pelo coronavírus.