De acordo com os resultados comunicados à CMVM, este lucro de 166 milhões contrasta com os prejuízos (22 milhões) que a empresa tinha tido no primeiro semestre de 2020.

De acordo com os dados comunicados à CMVM, no primeiro semestre do ano, o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 1.071 milhões de euros, um acréscimo de 41% em termos homólogos, "dadas as melhores condições de mercado", refere a empresa.

A Galp refere ainda que o `cash flow` operacional ajustado (OCF) nos primeiros seis meses do ano aumentou 68% relativamente ao período homólogo, para 914 milhões de euros.

Quanto ao segundo trimestre do ano, a empresa destaca que o `cash flow` operacional ajustado atingiu os 470 milhões, um aumento de 231 milhões em termos homólogos "dadas as condições macroeconómicas desafiantes de 2020, suportado na maior contribuição do `Upstream`, assim como no melhor desempenho das atividades de `downstream`".

No primeiro semestre do ano, o investimento totalizou 402 milhões de euros, com o Upstream a representar 71% do total, enquanto as atividades de downstream representaram 11% e as `Renewables & New Businesses` 16%. O investimento líquido representa um ganho de 8 milhões de euros, "considerando receitas de desinvestimentos durante o período, com destaque para a participação na GGND", refere a Galp.

A produção `working interest` - a produção bruta de matéria-prima, sobretudo petróleo, que inclui todos os custos decorrentes das operações - caiu 4% em termos homólogos no primeiro semestre do ano para 126,8 mil barris.

Já a produção líquida (net entitlement) - após o pagamento de impostos em espécie aos países em que produz e que revertem integralmente para os resultados da Galp - caiu no primeiro semestre do ano 4%, para 125,1 mil barris.

Nos primeiros seis meses do ano, considerando os dividendos pagos a acionistas de 290 milhões de euros e a interesses que não controlam de 78 milhões, assim como outros ajustes, a dívida líquida diminuiu 354 milhões, para 1.711 milhões de euros, face ao final de 2020.

As vendas de produtos petrolíferos caíram 2% no primeiro semestre do ano face ao período homólogo, para 2,9 milhões de toneladas e as de gás natural a clientes tiveram uma quebra homóloga 18% para 9,4 terawatt-hora (TWh), enquanto no segmento de eletricidade subiram 25% para 1.970 gigawatt-hora (Gwh).